Guia de Software e Serviço

Seguro de viagem: Entenda como é feito o rastreio de bagagem

Por mais que o número de casos de extravio de bagagens tenha diminuído muito nos últimos anos graças a utilização da tecnologia e modernização dos aeroportos, o número de problemas relacionados a atrasos e desvio de bagagens ainda é muito grande.

Estima-se que são mais de 20 milhões de casos de extravio de bagagem registrados todos os anos nos aeroportos de todo o mundo.

Confira como o novo procedimento adotado pelas companhias aéreas pretende ajudar a reduzir o grande número de bagagens extraviadas pelo mundo.

Se você vai viajar para o continente europeu é obrigatório contratar um seguro viagem europa para evitar transtornos como falta de assistência médica ou suporte para bagagem danificada ou extraviada, além de garantir sua entrada nos países da União Europeia que exigem a apresentação do seguro para autorizar a sua entrada no país de destino.

Em sites como o assistentedeviagem.com.br, por exemplo, você pode fazer a cotação do seu seguro de viagem e efetuar a contratação totalmente online.

Obrigatoriedade do rastreio

O rastreio de bagagens faz parte da resolução 753 da IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), publicada em junho de 2018.

Segundo a resolução, todas as companhias aéreas devem supervisionar todas as etapas do procedimento de transporte de bagagens, desde o momento da entrega da bagagem na hora do despacho até o seu retorno ao passageiro.

Como é feito esse rastreio?

O rastreio de bagagem funciona com um status de quatro pontos que são considerados fundamentais durante todo o percurso: transferência, carregamento no avião, descarregamento do avião e a devolução ao passageiro.

Para que isso seja possível todas as bagagens despachadas recebem uma etiqueta de código de barras, que deverão ser lidos por todos os funcionários que fizerem o manuseio dessas bagagens.

Com isso é possível acompanhar informações online em tempo real desde o momento em que as bagagens são despachadas no check-in.

Qual é a tecnologia utilizada?

Apesar de passar a ser utilizada há muitos anos em diversas áreas, como supermercados, bancos e lojas dos mais diversos segmentos, a tecnologia RFID é a escolhida para que as empresas aéreas possam se adequar a resolução 753 da IATA.

A tecnologia RFID (Identificação por Rádio Frequência) surgiu no período da Segunda Guerra mundial, quando países como Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos contavam com essa tecnologia em seus radares aéreos.

O RFID funciona através de antenas que fazem a leitura do sinal presente nas etiquetas de códigos de barras, que enviam esses sinais para um dispositivo leitor.

É esse leitor que fica responsável por traduzir os sinais recebidos em informações para que sejam analisadas.

O uso dessa tecnologia no rastreio de bagagens permite identificar todas as pessoas que fizeram o manuseio de determinada mala em qualquer um dos quatro pontos de status do transporte.

Com isso o objetivo é que a solução de problemas relacionados a extravio de malas e bagagens possa se tornar muito mais ágil e menos custoso para todos.

Conclusão

A utilização da tecnologia RFID no transporte de bagagens pode ajudar a diminuir muito o número de casos de extravio registrados todos os anos nos aeroportos de todo o mundo, o que seria excelente para ambos, companhias aéreas e passageiros.

® 2007-2011 TIBAHIA.COM - O portal de tecnologia da Bahia. Todos os Direitos Reservados.