Case Chip & Cia

CHIP & CIA virtualiza ambiente computacional da Procuradoria Geral de Justiça de Sergipe

Com consolidação de data center, órgão do executivo passou a contar com ambiente tolerante a falhas, altamente disponível e com mais capacidade de processamento

 

A Procuradoria Geral de Justiça de Sergipe (PGJ/SE) concluiu recentemente a modernização de todo o seu ambiente de servidores. O projeto, realizado pela Chip & Cia e pela HP, representou uma revolução na área de informática do órgão que, de acordo com seu gerente de TI, Alexandre Andrade de Souza, era defasada e rodava em diversos servidores físicos.

 

Na prática, a Procuradoria contava com cerca de 15 servidores (modelo torre) distribuídos, alguns deles com muitos anos de funcionamento e fora de garantia. O modelo gerava ocupação excessiva de espaço, o que resultava em altos gastos com energia elétrica  e sistemas de refrigeração. O custo total de propriedade de nossa estrutura aumentava e não era raro termos sistemas fora do ar ou termos de fazer, de tempos em tempos, migrações entre as máquinas. Tudo isso nos mantinha em constante risco de paralisação de serviços, lembra Souza.

 

O projeto contemplou servidores blade, storage, uma solução de backup robotizada, nobreaks redundantes e a ferramenta de virtualização da VMware, além de outros recursos de hardware, software e serviços especializados. Ao todo, o projeto representou investimentos da ordem de 700 mil reais. “O resultado foi a implementação de um ambiente virtualizado e consolidado, com diversas características de tolerância a falhas, alta disponibilidade e aumento da capacidade de processamento”, conta Roger Dantas Barros, diretor da Chip & Cia.

 

Souza afirma que, com o ambiente consolidado, a Procuradoria Geral da Justiça de Sergipe (PGJ/SE) sentiu uma grande evolução no sistema de backup, que no modelo anterior tinha baixo nível de segurança e exigia um profissional dedicado ao processo. O tempo de recuperação de uma informação perdida caiu quase dez vezes, comemora.

 

Estrutura

Inicialmente, a PGJ comprou três lâminas - uma com dois processadores Quad Core de 32 GB e outras duas com processadores Quad Core de 16 GB cada uma. Na primeira, foram virtualizados dez servidores com a solução VMware. Mesmo com os aplicativos em uma mesma lâmina, tivemos um ganho de cerca de dez vezes em capacidade e velocidade de processamento. Nossa área ganhou em desempenho e confiabilidade, diz o gerente de TI.  

 

O projeto prevê ainda a implementação de mais quatro lâminas. Duas serão utilizadas como cluster do SQL e como servidor do banco de dados e outras duas para redundância e sistemas secundários. O ambiente vai atender cerca de 300 estações de trabalho existentes na PGJ, além do público e dos promotores externos.

 

Souza lembra que a nova estrutura permitiu a oferta de mais serviços via web, o que representará redução de custos para a área de TI. Aumentamos a quantidade de serviços a partir da implantação desta estrutura, diz. Um exemplo é o Portal da Transparência, que o órgão colocou no ar cerca de dois meses atrás.

 

Além dos serviços ao público, o gerenciamento da área de TI foi simplificado e o risco de perda de dados caiu drasticamente. Com o serviço de gestão remota dos blades, eliminamos a necessidade de deslocar profissionais para a sede para  solucionar problemas. Com estes benefícios e com uma estrutura mais enxuta, posso afirmar que o retorno de nosso investimento foi imediato, afirma Souza.

 

Soluções


-  Solução HP Blade c3000 – sendo duas lâminas em cluster para o SQL e duas lâminas (redundantes) com VMware ESX para virtualizar 15 servidores físicos.

- Implantação de ambientes centralizados de storage (EVA 4400) e backup (MSL-4048).

- Implantação da solução de virtualização VMware ESX.

- Adoção de processos de gestão de backup e plano de continuidade.

- Serviços de projeto, implantação e migração.

  

Desafios


- Modernizar a área de TI da PGJ/SE.

- Consolidar servidores distribuídos.

- Reduzir custo total de propriedade.

- Reduzir risco de perda de dados.

- Reduzir tempo de recuperação de dados.

- Implementar sistema de gerenciamento remoto. 

 

Benefícios


- Redução do parque de servidores.

- Consolidação do data center.

- Automatização de backup.

- Ampliação da oferta de serviços.

- Aumento da capacidade de processamento.

 

Sobre a PGJ/SE

A Procuradoria Geral de Justiça é o órgão executivo da Administração Superior do Ministério Público, cujo titular é o Procurador Geral de Justiça, nomeado pelo Governador do Estado para um mandato de dois anos, dentre uma lista tríplice integrada por Procuradores de Justiça, escolhidos pelos membros do Ministério Público em atividade. O Procurador Geral de Justiça poderá ser reconduzido por mais um biênio, observado o processo eleitoral previsto na Lei Complementar nº 02, de 12 de novembro de 1990.

 

mais recentes · mais antigos

® 2007-2011 TIBAHIA.COM - O portal de tecnologia da Bahia. Todos os Direitos Reservados.