Fabricantes

Corning estrutura nova operação para atender ao crescimento do Mercado de ISPs

Salvador, 30/07/2019 - A Corning, uma das líderes mundiais em inovação na ciência dos materiais, anunciou recentemente uma nova estrutura operacional para atender aos provedores regionais de internet (ISPs – Internet Service Providers) de maneira mais eficiente. O crescimento das operações dos ISPs e a expansão da banda larga no Brasil estão motivando a companhia para oferecer essa nova estrutura. Como resultado dessas mudanças operacionais, a Corning espera terminar 2019 com um forte crescimento de receita em comparação a 2018 e com o momentum necessário para impulsionar o crescimento de seus negócios com operadoras regionais em 2020.

De acordo com dados divulgados pela ANATEL, entre 2015 e 2017, o total de acessos mensais à internet, via fibra óptica, saltou de 128 mil para 936 mil, somente entre os provedores. Em 2018, as conexões feitas por meio da tecnologia quase dobraram, chegando a 5,7 milhões (18% dos acessos fixos à internet). Mas o crescimento não para por aí. Entre janeiro e março deste ano foram feitas 660 mil novas conexões e outros 600 mil novos acessos foram registrados somente em maio. "O aumento do acesso à internet através da fibra óptica realmente destaca a importância dos ISPs no mercado - quase 70% das conexões de internet foram feitas por provedores regionais", afirma Tadeu Viana, Diretor de Vendas para a América Latina e Caribe da Corning.

No entanto, o grande número de conexões estabelecidas até o momento representa menos de 1% de todas as residências brasileiras e menos de 20% penetração no país como um todo. "Apesar do crescimento exponencial do mercado, as tendências indicam que as taxas de crescimento permanecerão estáveis por cerca de cinco anos. O Brasil é um país muito grande, então, há espaço suficiente para os provedores e operadoras – especialmente porque as tecnologias emergentes, como o 5G, exigirão a substituição de redes de cobre por redes de fibra", explica Viana.

Novos canais de distribuição

A Corning está expandindo sua estratégia de vendas, passando de um foco em grandes clientes de telecomunicações para incluir também as operadoras regionais. Como o mercado de provedores é muito fragmentado e não se concentra no eixo SP-RJ (geralmente, os ISPs estão localizados fora das grandes cidades para captar mercados mal atendidos pelas grandes operadoras), a empresa está colaborando com canais de distribuição para ampliar seu alcance geográfico.

Além das parcerias históricas que a Corning possui com canais de distribuição na América Latina, como a Anixter e Power&Tel, a empresa também se aliou a novos canais em 2018, incluindo DPR e WDC no Brasil, para expandir seus negócios com os ISPs. "Acreditamos que colaborar com esses novos canais de distribuição nos permitirá atender mais clientes no mercado. Por exemplo, participamos do Encontro Nacional da ABRINT junto com a WDC e conseguimos estabelecer novas relações comerciais. Ainda temos uma longa jornada à nossa frente, mas estamos caminhando na direção certa. Estamos nos estágios iniciais de nossa participação neste novo mercado, portanto, qualquer resultado positivo nos aproximará de nossa meta de consolidar a Corning como uma empresa que também atende operadoras e provedores", completa Viana.

Mudança de foco de mercado e portfólio de produtos regionais

Em 2013, a Corning adquiriu uma fábrica no Rio de Janeiro. Até o ano passado, as grandes operadoras eram o foco principal do polo industrial. Como parte de sua nova estrutura operacional, a empresa aumentou suas linhas de produção industrial para atender tanto à demanda de operadoras e quanto de provedores de internet.

Os principais objetivos da aquisição da fábrica no Rio de Janeiro foram aumentar a participação da Corning no mercado brasileiro, obter competitividade de preço e ter a capacidade de customizar produtos. "É preciso entender que uma solução adequada para a Europa, por exemplo, não será, necessariamente, adequada para o Brasil. As necessidades e condições físicas e meteorológicas variam de lugar para lugar. Lá, muitos países possuem redes de fibra majoritariamente subterrâneas, enquanto as nossas são quase todas aéreas, por isso precisamos de produtos muito resistentes. Ter uma fábrica local nos permite personalizar equipamentos que vêm de fora e criar soluções que sejam totalmente direcionadas ao mercado brasileiro", explica Viana.

Quando a Corning adquiriu e estabeleceu as operações da fábrica do Rio de Janeiro, o portfólio estava focado em redes de cobre. Na época, cerca de 90% do faturamento da fábrica vinha do cobre. Até o final deste ano, a empresa espera que mais de 90% de sua receita venha de fibras ópticas.

Outra ação que ajudou a companhia a se expandir para o mercado de provedores foi a aquisição da divisão de telecomunicações da 3M. Por possuir um portfólio complementar que se encaixa no mercado de ISPs, a aquisição feita pela Corning provou ser estratégica e possuir o potencial de oferecer ótimos resultados.

Benefícios das soluções pré-conectorizadas da Corning

O processo de construção de uma rede de fibra óptica para 5G e para FTTH (fiber to the home) é muito similar – ambas incluem arquitetura de design de estilo capilar. "Com a construção de uma rede de fibra óptica multisserviços, o provedor ou operadora de telefonia consegue atender, no momento, ao mercado de FTTH, mas terá suas operações e instalações preparadas para quando o 5G chegar", explica Viana.

Antigamente, as redes de fibra óptica eram de difícil instalação, porque exigiam máquinas de fusão que fundissem e unissem as extremidades dos cabos de fibra em campo. Para enfrentar esse desafio de mercado, a Corning desenvolveu soluções pré-conectorizadas baseadas no OptiTap, conector reforçado e considerado padrão mundial. Com o OptiTap, a montagem da rede é semelhante à de uma peça de lego – para obter uma conexão de fibra, um instalador pode simplesmente encaixar um conector reforçado entre os diferentes cabos. "Os benefícios de uma solução pré-conectorizada são enormes. Além de facilitar e baratear a instalação e manutenção da rede de fibra óptica, ela permite que o investimento feito hoje seja escalonado e aproveitado no futuro, inclusive para as redes do 5G", explica Tadeu Viana, Diretor de Vendas para a América Latina e Caribe da Corning.

O conector reforçado OptiTap é o produto mais comumente utilizado em redes FTTH, pois pode ser utilizado individualmente ou integrado a outros elementos. Ele também protege os cabos contra fatores externos, como temperaturas extremas, umidade e poeira. Além disso, como a fibra agora sai da fábrica de forma pré-conectorizada e em modelo Plug & Pay, as operadoras e os provedores conseguem construir as redes até quatro vezes mais rápido que as instalações em camadas multisserviço convencionais.

Até o momento, mais de 50 milhões de unidades do OptiTap foram vendidas mundialmente, o que ajudou a conectar mais de 35 milhões de residências no mundo. Segundo dados de 2005 a 2018 disponibilizados pela Anatel, em 2013, ano em que o OptiTap chegou ao Brasil, houve um recorde de novas assinaturas de rede de banda larga no país, alcançando 2,9 milhões de novos pontos de acesso.

® 2007-2011 TIBAHIA.COM - O portal de tecnologia da Bahia. Todos os Direitos Reservados.